O Brasil Tem Jeito Jesus Cristo

Município de Perdigão

Município de Perdigão

Perdigão 62 Anos de Emancipação

Perdigão 62 Anos de Emancipação

O Progresso de Perdigão

O Progresso de Perdigão

Jesus Cristo Yeshua Único Mediador Entre Deus e os Homens


Perdigão é um município do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2014 é de 10.337 habitantes. A cidade de Perdigão localiza-se no Alto São Fancisco, a 150 km da capital Belo Horizonte. Sua economia ganhou destaque na produção de calçados; tendo hoje devidamente registradas 102 fábricas. Onde se localiza a gruta havia um cruzeiro que foi o marco do início da religiosidade da cidade.de Perdigão, antiga Vila Saúde e demais cidades vizinhas teve seu início com a povoação dos índios Cataguases . Com a divisão das Capitanias Hereditárias, a Capitania de Minas, do Ouro e São Paulo foi uma das mais ricas, até ser desmembrada uma da outra no ano de 1720. As Capitanias eram dividas em comarcas que por sua vez eram dividas em termos com uma sede instalada em uma vila. A Vila Saúde, incluído o distrito de “Cercado” era da aplicação de Nossa Senhora da Piedade do Pitangui. Para facilitar a povoação e a colonização o governo aplicou a concessão de Sesmarias terreno inculto ou abandonado, concedido aos sesmeiros para serem cultivados. Com a desbravarão das terras, os bandeirantes iam abrindo “picadas” ligando grandes vilas e nos locais onde havia maior aceitação, perto de água e terras férteis era concedida a posse a um sesmeiro. A Vila Saúde era uma encruzilhada natural de várias picadas que se tornaram estradas, perto de águas consideradas curativas. Nessas encruzilhadas naturais era fincado um cruzeiro num local bem visível, onde um padre benzia, celebrava uma missa e onde automaticamente já surgia uma casa, uma venda, e uma pequena estalagem que servia de pouso para os viajantes cansados, os tropeiros e cometas, que transportavam suprimentos de um local à outro; comprando de um lugar, vendendo em outro e vice e versa. A estalagem, primeiras casas da Vila Saúde foram construídas na descida no “Morro do Buraco”, no atual “pasto” nos descendentes de Luís Ferreira da Cruz, perto de uma mina de águas cristalinas que ali nascia. A cruz foi fincada com os braços abertos para essas casas bem no alto do morro, no local onde hoje se encontra a “Gruta Nossa Senhora da Saúde” e lá permaneceu até o ano de 1949, por ordem do padre da época, Monsenhor Alfredo Dorh, foi arrancado e doado a dona “Inhazé” que o fincou no alto de um morro em seu terreno. Por causa das afamadas águas curativas, a vila ganhou nome de “Saúde” e como padroeira Nossa Senhora da Saúde. Com o aumento da população a igreja foi construída por volta de 1710 no mesmo local da matriz atual. Uma santa, a primeira imagem de Nossa Senhora da Saúde veio de Portugal e foi instalada na igreja matriz que foi demolida nos primeiros anos da década de 1950, por ordem do bispo Dom Manuel Nunes Coelho. O cemitério era afixado no adro da matriz, ou seja, ao seu lado. A igreja do Rosário, toda feita de madeira, imperava na segunda praça, sendo demolida nos anos 60 para a construção do atual Centro Social.
Veja + em Perdigão Polo Calçadista
https://sites.google.com/site/novaserranadasminasgerais/perdigao-polo-calcadista

Constantinos Dimitrios Bilalis Neto, o Tininho, nasceu em 18/10/1967,  filho de Dimitrios Contantino Bilalis e Arinda de Oliveira Bilalis. Se formou em Química em colégio no Rio Grande do Sul e começou sua vida profissional como empresário do setor coureiro no Curtume São Francisco, que mais tarde passou a se chamar, Curtume Bilalis. O despertar para a vida pública aconteceu em 1992, sendo candidato a Prefeito pela primeira vez, disputou com quatro candidatos e se elegeu com 23 anos de idade. Foi considerado o prefeito mais atuante e um dos mais novos do Brasil. Em 2001 assumiu novamente a prefeitura com um mandato dinâmico e atuante. Com um intervalo de quatro anos retornou em 2009 / 2012 e se reelegeu, para ficar novamente a frente do município.

************************************************************************************************************
A Glorificação de Cristo Consiste em Sua Ressurreição e Sua Ascensão Aos Céus, onde Cristo está Sentado à Direita do Pai. 
O sentido geral da Glorificação de Cristo está relacionado com Sua Morte na Cruz. Como, Pela Paixão e Morte de Cristo, Deus eliminou o pecado e Reconciliou o mundo consigo, de modo semelhante, pela Ressurreição de Cristo, Deus Inaugurou a Vida do mundo Futuro e a colocou à disposição dos homens. 

“Ao terceiro dia" (de Sua morte), Jesus Ressuscitou Para Uma Vida Nova. Sua alma e Seu Corpo, plenamente transfigurados com a Glória de Sua Pessoa Divina, voltaram a se unir. A alma assumiu de novo o corpo e a glória de sua alma se comunicou totalmente ao corpo. Por este motivo, “a Ressurreição de Cristo não foi um regresso à vida terrena. O Seu corpo Ressuscitado é Aquele que foi Crucificado e apresenta os vestígios da Sua Paixão, mas é doravante participante da Vida Divina com as propriedades dum corpo Glorioso". A Ressurreição do Senhor é fundamento de nossa fé, pois atesta de modo incontestável que Deus interferiu na história humana para Salvar os homens. E garante a Verdade do que prega a Igreja Sobre Deus, Sobre a Divindade de Cristo e a Salvação dos homens. Pelo contrário, como diz Paulo, “Se Cristo não Ressuscitou, Vã é Nossa Fé" (1 Cor 15, 17). 

Os Apóstolos não podiam enganar-se nem ter inventado A Ressurreição. Em primeiro lugar, se o Sepulcro de Cristo não estivesse vazio, não poderiam ter falado da Ressurreição de Jesus; além disso, se o Senhor não lhes tivesse aparecido, em várias ocasiões e a numerosos grupos de pessoas, homens e mulheres, muitos dos discípulos de Cristo não teriam podido aceitá-la, Como ocorreu inicialmente com o apóstolo Tomé. Muito menos teriam podido eles dar Sua Vida por uma mentira. Como diz Paulo: “E Se Cristo Não Tivesse Ressuscitado seríamos convencidos de ser falsas testemunhas de Deus, por termos dado Testemunho Contra Deus, afirmando que Ele Ressuscitou a Cristo, Ao Qual Não Ressuscitou" (1 Cor 15, 14.15). E quando as autoridades judias queriam silenciar a Pregação do Evangelho,  Pedro respondeu: “Há Que Obedecer a Deus antes que aos homens. O Deus de nossos pais Ressuscitou a Jesus a Quem vós destes a morte, suspendendo-O num madeiro. 

Nós Somos Testemunhos Destas Coisas" ( At 5, 29-30.32). Além de ser um evento histórico, verificado e testemunhado mediante sinais e testemunhos, a Ressurreição de Cristo é um Acontecimento Transcendente Porque “Ultrapassa a História Como Mistério da Fé, enquanto implica a entrada da humanidade de Cristo na Glória de Deus" .  Por este motivo, Jesus Ressuscitado, embora Possuindo Uma verdadeira identidade físico-corpórea, não está submetido às leis físicas terrenas, e se sujeita a elas só enquanto o deseja: “Jesus Ressuscitado é Soberanamente Livre de Aparecer aos seus discípulos como Ele quer, onde Ele quer e sob aspectos diversos". 

A Ressurreição de Cristo é um Mistério de Salvação. Mostra a Bondade e o Amor de Deus, que Recompensa a humilhação de Seu Filho, e que emprega Sua Onipotência para encher de Vida os homens. Jesus Ressuscitado Possui, em Sua Humanidade, a Plenitude da Vida Divina, para Comunicá-la aos homens. “O Ressuscitado, Vencedor do pecado e da morte, é o princípio da nossa Justificação e da nossa Ressurreição: a partir de agora, Ele garante-nos a Graça da Adoção Filial que é a participação Real na Sua Vida de Filho Unigênito; depois, no final dos tempos, Ele Ressuscitará o Nosso Corpo" . Cristo é o Primogênito entre os Mortos e Todos Ressuscitaremos por Ele e n’Ele. 
Jesus Cristo Filho Unigênito do Altíssimo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário